Castanha-do-Pará: uma é boa, duas… já são demais?!

7 de junho de 2019

Consumir uma castanha-do-Pará por dia já basta. Parece pouco? Ora, uma unidade dessa oleaginosa concentra nada menos do que 200 a 400 microgramas de selênio. Para ter ideia de quão rica é a castanha nesse sentido, saiba que um adulto precisa de pelo menos 55 microgramas diários do mineral.

Portanto, o alimento fornece de quatros a sete vezes mais selênio do que o recomendado. Mas por que esse nutriente é tão cultuado pelos especialistas em nutrição? Bem, trata-se de uma substância extremamente promissora na prevenção de várias doenças, entre elas o Alzheimer, que apaga a memória e outras funções cognitivas.

Na Dona Castanha, você encontra as melhores castanhas com o melhor preço! Temos castanhas-do-Pará de diversos tamanhos, com sal ou sem sal, cobertas de mel ou só na farinha; quebradas, ou na casca. Pensamos exclusivamente na sua saúde!

Entenda: a presença de selênio é essencial para a formação de uma enzima batizada de glutationa peroxidase. Não precisa se arrepiar com o palavrão. Essa enzima é uma das mais poderosas na hora de neutralizar os radicais livres, aquelas moléculas que, se abundam no corpo, causam todo o tipo de encrenca no corpo – inclusive a morte de neurônios e a rede formada por eles.

Já se observou, em um estudo brasileiro, que pessoas com comprometimento cognitivo tinham uma deficiência muito maior de selênio. Mais: uma castanha por dia se mostrou suficiente para dar um gás na função cognitiva de voluntários idosos. Castanha esperta, não?

Por causa do conteúdo gorduroso, existe a orientação de comê-la antes das principais refeições. Isso porque esse nutriente costuma demorar mais tempo para ser digerido pelo corpo. Trocando em miúdos: prolonga a sensação de saciedade. Então, ao ficar diante de pratos e travessas, a tendência é pegar mais leve.

Com tantos pontos fortes, dá até vontade de se entupir dessa oleaginosa. Mas segure a onda. A riqueza em selênio é bacana, só que abusar do mineral acarreta prejuízos. Os mais comuns são mau hálito, unhas fracas e quebradiças, alterações na pele e queda de cabelo.

O valor considerado excessivo, segundo os experts, é de 800 microgramas – nada impossível de atingir. Claro: ninguém precisa se martirizar se abusar uma vez ou outra. O perigo é fazer isso sempre. Sem falar no risco de se entupir de gordura… Por mais positiva que ela seja, carrega muitas calorias – recado que, diga-se, se estende a outras oleaginosas.

Informações: Saúde É Vital

Para conhecer todas as opções que temos de castanha do Pará acesse o link: https://www.donacastanha.com.br/nozes-e-castanhas/castanha-do-para.html

Faça um comentário

Deixe seu comentário abaixo, utilizando o facebook